PERFUME LUNA NATURA - RESENHA 2

Os perfumes Chypre ganham este nome em homenagem a uma ilha grega. Em meados dos século XX quem por lá pôde passear e viver conta que essa ilha rescendia magnificamente. Cheiros verdes densos brotando de sua vegetação intensa e do solo úmido - feito leito de raízes, folhas e flores em novo ciclo da vida. Coty, que marca a história da perfumaria, cria um perfume em clara alusão aos cheiros orquestrados pela ilha grega. Mal sabia ela que ao propôr o perfume Chypre estaria também lançando uma nova família olfativa. 100 anos passados e ainda apreciamos o estilo, apesar das reformulações.

Para ser considerado chypre um acorde é necessário: bergamota, com seu dulçor cítrico deve estar sobre a base do verde amassado terroso musgo de carvalho. Assim foi por décadas, mas a constatação de que a essência de bergamota causava manchas na pele, e que musgo de carvalho provocava outros dissabores, obrigou os Perfumistas a buscarem alternativas. Partimos para o campo dos sintéticos. Não agradou muitos narizes. Partiram, então, para a formulação de Chypres com outras perspectivas. Assim... temos os Chypres Modernos, que substituem a bergamota por outras variações de laranja, grapefruit, morango ou suas folhas, cassis... frutas que tenham as características de serem suculentas, doces e cítricas a um mesmo tempo; e o musgo? Substituído por vetiver ou ainda patchouli trabalhando-o mais para o lado cheiro de terra.

Ainda quero conversar mais sobre essa amada família Chypre, mas hoje ocorre um fato histórico em nosso VB. Pela primeira vez um perfume ganha mais de 1 resenha. Ele é Luna, lançamento 2014 da Natura, que se enquadra perfeitamente na categoria Chypre moderno. 

Vem comigo.
Resenha Perfume Luna da Natura.

Luna sobre a pele. Meu nariz busca o cheiro.
Grapefruit com goiaba e almíscar.
Doce azedinho dessa "laranja" americana que "soa" efervescente e intensa. Umas gotinhas de calda de goiaba pingam sobre a fruta, enquanto uma lufada de brisa limpa, macia de almíscar sopra sobre a pele. Goiaba? Então... não é oficial, mas acabo sentindo-a no começo do perfume.

Chypre? Cadê? Nada! É perfume frutal, penso eu.

Prossigo em minhas incursões sobre a pele e por 20 minutos nada mais acontece.

Já estou quase desistindo de ser surpreendida quando...

Opa? O que é isso? Quem está aqui?

Pequeno bouquet de rosas e um tímido Jasmim começam a exalar junto com a doce cítrica grapefruit. Perfeito equilíbrio. As flores parecem ter umas gotinhas de mel. Sinto aquele cheiro doce denso pesando (no bom sentido) todo esse fulgor cítrico e leve de frutas com flores. Laranja doce? Tangerina? Mexerica? Ah. serve uma misturinha das duas? Não na saída, mas sinto-a no coração.
Coração amadurecendo de maneira chic. Como assim?

Pois já te conto. Os primeiros chypres modernos que conheci foram os da maison Chanel, como Coco Mademoiselle Edp e Edt, Chance Edp e Edt e os da casa Dior, Miss Dior Chérie e suas tantas versões. Por eles terem sido meus primeiros... associo sempre Chypre Mderno a cheiro Chic.

Tá, conta logo...

Pois então, o coração do Luna é chic, pois ele vai lá passear na vizinhança da Chanel e da Dior, como a campanha elegantemente (de) anunciava: 
BLOG SOBRE PERFUMES
Progagandas Chanel 5 com Nicole Kidman, Coco Mademoiselle com Keira Knightley e
 Natura em Luna (parecidinhas, concordam?)


Laranja, rosa, flor de laranjeira, doce melífluo e denso com? Patchouli meio terra meio chocolate amargo. Doce amargo terroso. Tudo junto na base, como sustenando as frutas cítircas e flores cremosas. Luna compartilha esses acordes com Chance, Mademoiselle e Miss Dior.

Não são iguais, nem parecidos, mas têm o mesmo estilo e participam da mesma Estante na História da Perfumaria, assim como o fazem Eudora Eau de Parfum, J`aime La Perla, Quizás Quizás Quizás.

  • Projeção: média baixa. Perfume mais discreto sendo percebido à distância de um braço por 2 horas, depois mais rente à pele.
  • Fixação: 5 horas.
  • Perfumista: Veronica Kato
  • Designer Yoann Saura


Estamos, meus caros, não diante do primeiro chypre moderno brasileiro, pois Boticário e Eudora já construiram propostas semelhantes, mas sim diante do primeiro da casa Natura.... e afirmo ainda: não parece ser Natura. Como assim?

Luna tem uma proposta toda contemporânea, traz cheiros globalizados, e pela primeira vez vejo Natura saindo de sua assinatura breu / priprioca / cheiro de mato amargo que eu e tantas leitoras e leitores sempre sentimos.


Natura ampliando sua Missão e perspectiva?
Creio que sim. Para o bem ou para o mal, Natura não cheira mais só a Brasil.

Vale à pena ouvir a perfumista Veronica Kato e o designer Yoann Saura comentando também sobre Luna Natura <3 Muito amor, Natura, façam sempre isso... muito bom mergulhar na história da criação do perfume! Parabéns!

Agradeço ainda mais a Nádia Gradiski que, ao ver minha agonia por falta de amostra, se dispôs a enviar lá de longe um flaconete para eu conhecer. Obrigada pelos carinhos manifestos de muitas formas, Nádia, por me ler, se mobilizar, doar seu tempo e amostra em nome da paixão por perfumes. 

Abraços perfumados.





24 comentários :

  1. Dâmaris querida,
    poderia dizer-me surpresa com teu post mas a verdade é que já o esperava.

    Quase arrisco dizer que a escassez de amostras do Luna foi proposital, uma estratégia de marketing da Natura para atiçar-nos a curiosidade. Pelo visto, teve balanço positivo.
    Confesso meus receios em relação à perfumaria Natura não por preconceito, mas por sentir sempre o mesmo aroma de fundo, também pecam na fixação. Esta inovação envolta em mistério - tudo a ver com Luna - alavancou compras impulsivas por mera curiosidade, foi o que me disseram duas consultoras Natura recentemente.

    Até aí, nada disso teria me afetado, mas ao ler teu post, como já esperava, obtive a confirmação das minhas suspeitas sobre o perfume lunar.
    Uma doce surpresa envolta em mistério que aos poucos é revelado.
    Tua resenha também nos mostra Luna em fases, como a lua. Raramente consigo diferencia-las nos outros perfumes que conheço desta marca, falha minha talvez...
    Mas o fato é que me rendi às tuas palavras e cedi aos encantos de Selene: encomendei um Luna!
    Espero que quando ele chegar eu esteja nas minhas melhores fases...
    Beijos e parabéns mais uma vez!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Thaís,
      obrigada por falar de tua Lua.... ainda hoje estava pensando o pq assim chamarem este perfume. Fases... é isso!

      Intrigante essa tua fala sobre algumas consultoras e a "estratégia" de não doar/vender amostras como forma de forçar a compra às cegas... nada bom isso, nada bom.

      bjins

      Excluir
  2. Bingoooo! resenha mais que perfeita Dam. Testei o Luna semana passada e hoje tenho um para chamar de meu ;-). Não sou muito fã da natura, pois parece que todos os perfumes tem a mesma base, sei lá, acordes muito semelhantes, mas o Luna nem parece ser dessa marca. Para mim, parece perfume importado. Só fico triste pelo valor, pois acho caro para uma colônia, enfim...a sorte é que consegui por um preço beeem em conta (sabes que garimpo...).

    Obrigada por compartilhar suas preciosas impressões!

    Um ótimo restinho de semana ;-)

    Bjins
    Dai

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. terei que garimpar ou esperar também, Dai...... rsrs 117 reais para uma deo-colônia é mesmo caro. Se ainda projetasse e fixasse um tantinho mais :( Vou esperar o preço baixar um pouco, o que sempre ocorre depois de um tempo.
      bjins

      Excluir
  3. Que interessante a proposta da Natura. E não sei se fico feliz ou triste por essa nova fase, sem o cheiro de mato, sem aquela familiar e conhecida assinatura olfativa da marca... E o vídeo, achei incrível. Preciso experimentar...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Natura perdeu alguns pontos no total de vendas no país, Diana... É estratégia para reconquistar cliente, mas estão a perder aquela identidade mais natureba. Dentre os lançamentos não é o primeiro que foge das terras tupiniquins para buscar cheiros de outras culturas.

      Excluir
  4. Eu tenho uma amostrinha dele, mas, assim como as outras pessoas, não achei que vale o valor! =( Até porque a projeção dele é bem baixa na minha pele. Acho que se tivessem feito um eau de parfum com essa fragrância ficaria perfeito, pois o cheiro é muito gostoso. Ficaria até compatível com o preço que estão pedindo. A resenha tá perfeita, Dâmaris.Este blog tem me educado muito, sempre aprendo. A introdução tá divina. Eu não sabia sobre a história dos chypres. Tudo feito com muita atenção. Obrigada por compartilhar suas palavras. =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Juliana
      fiquei aqui a imaginar um Eau de Parfum do Luna Natura, seria bastante interessante mesmo, e faria sucesso, certamente!

      Queria poder fazer mais.. amo estar aqui com vocês conversando sobre nossos queridos perfumes.

      Obrigada por dedicar um tempo para me escrever.
      bj

      Excluir
  5. Ah, esqueci de falar! Eu tb senti um quê de miss dior nele!!

    ResponderExcluir
  6. Eu julgo livros pela capa. Infelizmente sou dessas, e a perfumaria nacional parece ser campeã no quesito "frascos que não me agradam". Ao ler a tua primeira resenha, não entendi como a escultura que inspirou o frasco, com uma pegada mais "crua", mais "bruta", mais "rudimentar", transformou-se num vidro límpido, branco-e-rosa e com o nome "lua" em italiano... Branco-e-rosa costumam remeter-me a "menininhas", a cheiros que uso quando quero apenas conforto, com mais inocência e sem qualquer vestígio de sensualidade.

    Sei lá. Acho que quando li "Natura" e vi a escultura em argila, imediatamente imaginei um perfume, como você mesma disse, com uma identidade natureba. Talvez por isso tenha ficado frustrada com o frasco branco-e-rosa e com o nome, ainda que, de fato, as notas fujam do cheiro de terra que idealizei.

    Em relação ao perfume em si, preocupa-me o cassis. Nunca cheirei um cassis que me agradasse, a não ser o próprio licor servido em taças de sorvete (nham!). Ainda assim, despertou-me a curiosidade devido às várias menções favoráveis que tenho lido sobre o Luna, e não o marketing (sério: a imagem do perfume não consegue estabelecer nenhuma conexão na minha mente, muito menos com algo "chique". Acho que, neste ponto, os perfumes nacionais masculinos são muito mais eficazes em transmitir esta ideia).

    Bora caçar um Luna pra cafungar, como diria a Vanessíssima!

    Bjo, Dâmaris!

    Obs.: Daqui a pouco te respondo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. salivei agora lembrando do licor de cassis sobre mousse de mamão papaya... nhammm

      Julia, tu acredita que eu consegui ver meu corpo no Luna? rsrs Olha o vídeo em que aparece o designer moldando a argila; por lá dá para ver, também, a leitura do scanner que fez o "molde" do vidro. Vale a pena.

      Dentre tudo o que a Natura fez para divulgar o Luna o que mais gostei foi esse vídeo que postei nesta resenha, justamente por não ser explicitamente comercial, mas contextualizar a fragrância e sua idéia original. Caça aí e depois me conta o que tu cafungou.

      bjoks

      Te respondi!

      Excluir
  7. Querida Damaris....gostaria imensamente uma resenha do perfume 5th avenue da Elizabeth Arden sim? Comprei no escuro e acertei em cheio rsrs....me fez lembrar os perfumes que minha saudosa mae usava...um cheiro tao bom e acolhedor desde ja agradecido. Adriano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Adriano... farei sim. Vou procurar algum lugar que o tenha para re-experimentar. A memória que tenho dele é justamente assim como você falou floral acolhedor, e acrescentaria "cremoso".

      Excluir
  8. Damaris querida .....vou ser sincero ,depois do fim dos perfumes intuicao e sabine ambos da natura...nao me alegro muito com essas novidades lancadas pela marca...mas pelo que vejo esse Lunar tem um algo a mais um q de importado , voce pode confirmar isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim sim.... Luna é um cheiro bastante "globalizado" e foge do padrão Natura que conhecemos há anos.

      Excluir
  9. A cada visita aqui.....sinto que mais aprendo, mais entendo de perfumes e tu querida, me dá aulas de perfumaria, todos os dias, de maneiras tão diferentes, tão intensas, tão sublimes, do jeito só teu, que vai me fazendo ler, entender e querer conhecer.....é fascinante tua escrita!

    Consegues fazer eu quase que sentir daqui do outro lado o cheiro que tu sente, incrível isso! Estou louca para conhecer esse perfume, e te lendo, imagina a minha curiosidade nele? Está muito maior, e essas histórias que envolvem os perfumes são tão fascinantes, que nos levam a viajar pelo mundo afora.....

    Ah querida, obrigada por ter esse cantinho (minha sala de descanso), é tão bom estar aqui, tu não imaginas o quanto.......e a cada dia só cresce a vontade de conhecer mais e mais perfumes, rsrs. Obrigada por essa resenha maravilhosa!!!!!!

    Um beijo bem carinhoso pra ti,

    Malú

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. um dos maiores desafios..... estreitar o laço entre a percepção olfativa e a linguística.

      A vila é nossa!

      bjs, querida

      Excluir
  10. Querida Dâmaris, pela primeira consegui entender com clareza o que é família Chypre, acho dentre todas que existem a mais enigmática e sedutora é esta...e creio, devido as fragrâncias que mais gosto, que os perfumes chypres são os meus favoritos! Vc foi esclarecedora hehe

    Qto ao Luna, estou super curioso com este lançamento...vou encomendar um!

    Grande beijo!

    Thiago.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sério, Thiago? Que delícia ler isso... é motivador. Falarei mais sobre, viu?

      Teus amados Chanel seguem essa linha dos chypre modernos! ;)

      bjs querido

      Excluir
  11. Bela resenha, querida!
    Gosto dos Chypres, tenho alguns (mas são "old school"), e este está me agradando.....mas ainda é começo e pede tempo de convívio para saber como será a relação entre nós. Que modelo linda, não? Em minha opinião, deixa Nicole Kidman para trás....Obrigado, Dâmaris, pelo trabalho de esmiuçar o conceito da família Chypre e transmitir tão bem como é o Luna. Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Teu mais novo queridinho Spring segue essa linha old school, assim como o FN, não é? Não tinha parado ainda para perceber esse teu nariz nos chypre, Ubiratan.... Curioso isso. :)
      Eu que agradeço, querido, tua leitura atenta.
      abraços

      Excluir
    2. Dâmaris, sabe que nem eu mais sei de qual família não gosto? (mas vejo isso de forma positiva). Dizia não gostar dos florais, mas chegou Giorgio para me fazer morder a língua....Spring está aí para dizer do quanto estou encantado com o ar nostálgico e clássico de alguns (acredita que por isso agora estou namorando Arpege e Anais Anais?)....Está difícil se enquadrar em alguma categoria. Só sei que gosto dos intensos: ou florais, ou amadeirados, ou gourmands, até frutais. A fase atual é nada de cítricos aguados, sem personalidade ou com cheiro de amaciante de roupa.....O único perigo é o dedo em excesso na válvula, como costumar ocorrer e "causar", rs .Abs....

      Excluir
    3. Querido, vejo esse tem movimento como uma evolução artística... estás partindo
      De: perfume para deleite pessoal
      Para: lançar-se à arte e apreciar suas possibilidades deixando-se impactar pelo que vier.
      O filtro? Qualidade.

      Spring tem flores em comum com o Anais Anais... rsrs

      abraços

      Excluir

O Blog Village Beauté está com suas atividades suspensas.

Grata pela compreensão.

Pin It button on image hover