QUEM SENTE A SAÍDA NÃO CHEGA AO CORAÇÃO - COMO EXPERIMENTAR PERFUMES

Dia desses estava em uma perfumaria e uma senhora provava perfumes na fita olfativa. Aflita fiquei e a vontade era de dizer: mas espere só um pouquinho, ele vai evoluir e ficar tão bom! E lá iam embora fitinhas e mais fitinhas abandonadas pelas estantes abarrotadas de jóias em estado líquido. Voltei para casa. Pensei e lembrei: já "paguei o nariz" muitas vezes. Então vale lembrar:

quem sente a saída não chega ao coração.

Escolher um perfume requer relacionamento
Escolher um perfume requer relacionamento
* Sinta o perfume na pele: provar perfume em papel/fita olfativa dá uma idéia geral do cheiro, mas ele mudará quando entrar em contato com tua pele. Borrife. Dê uma volta e depois de 1 hora retorne à perfumaria. Nesses minutos ele já terá cheirado a que veio. Verás que a evolução na fita é aquém do que o perfume pode demonstrar na pele;

* Troque a estação do perfume: não abandone uma fragrância por que não teve uma boa primeira impressão. Volte a senti-lo em outra estação. Aqui no Village Beauté tá cheio de resenha de perfumes que ficaram bons aqui e em outra estação não. Os perfumes, quando são lançados, têm uma proposta também relativa à época do ano. Perfumes orientais com especiarias, por exemplo, tendem a desandar no verão assolador;

* Trave um relacionamento com o perfume. espere, tenha paciência, trave relacionamento com o perfume. Antes de lavar o braço espere por 5 horas, mais ou menos, vá acompanhando a evolução. Assim como ocorre com as pessoas, os primeiros 10, 20 minutos podem nada dizer sobre o que há em seu coração e base. Quantas vezes odiei a saída e amei loucamente o coração ou a estrutura final de um perfume? 
Se eu fosse correr para a pia do banheiro passar bombril no braço, fugir para as montanhas e exilar-me na terapia:

não teria conhecido os branco coração do Alien, Edp, a cremosidade gourmand adulta de Joop! Le bain, as amêndoas tostadas orientalizadas de Montale, o fundo floral amadeirado de Far Away, a sensualidade do Aromatics Elixir, o chocolate do Angel masculino.... ah, e tantos outros.

Já "paguei nariz": odiei e depois amei/gostei/curti. Mas me sinto mais madura desde que passei a travar paciente relacionamento com os perfumes. 

PERFUMES AMADOS OU ODIADOS
Experimentando perfumes com... paciência.

Tem perfume que com ele decido me "casar"e será eterno companheiro, outros admirarei por alguma etapa ou...sairão da minha vida em definitivo. :) Mas nunca tudo isso em uma primeira experimentação.

Como ocorre com as gentes:
a primeira impressão não é a que fica.

Já aconteceu isso contigo?
Quais perfumes foram "ódio" na primeira impressão e, depois, calmamente viraram"amor" no todo ou em partes?


15 comentários :

  1. Aconteceu sim, Dâmaris, exatamente pela questão da estação que vc citou. Muito interessante isso, não é? Muita gente desperdiça boas oportunidades por não saber reconhecer isso!
    Bjo,

    Luciana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. fico triste quando vejo pessoas perdendo a oportunidade de conhecer um perfume pq sentem apenas a saída dele, Lu.

      Excluir
  2. Maravilhoso compartilhar assim tuas experiências adquiridas.
    Já contemplei por anos um perfume que minha mãe usa somente no inverno, pois ele é difícil num país tropical: Paloma Picasso. Pensei jamais experimentar na pele e agora pouco antes das 40 primaveras e com este rigoroso inverno 2013, pude percebe-lo diferente, em outras palavras, atraente. Também hoje sou uma mulher diferente e vejo claramente esta transformação nos gostos para roupas, maquiagem, sabores e com perfumes não poderia ser diferente. Mas tem sido um transição bem natural, estou adorando!

    Quando era muito jovem usei o Eternity como se fosse o melhor do mundo, hoje ele não me diz quase nada...
    Talvez por isso mesmo eu esteja flertando com perfumes de uma feminilidade mais madura, ou quase isto.
    E realmente os perfumes são parte de nossas fases da vida, eles nos acompanham em nossas alegrias, sonhos, desilusões, comemorações mas também podem ter seu momento de despedida, nasce uma nova fase e uma nova mulher.

    Adorei o post, você se supera de lua em lua...

    Beijos e que o sol seja bem vindo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thaís querida,

      Desculpe eu ter entrado em tua linda descrição, não resisti...parabéns, soube com muita classe e sabedoria descrever exatamente o que sinto sobre os perfumes e suas épocas.

      Obrigada acrescentastes alegria em meu dia.
      Um beijo a ti,
      Malú

      Excluir
    2. Thaís querida.....e é uma delícia ter leitoras como você, que compreende Perfume como Arte e também expressão pessoal fortemente amalgamada pelos afetos e história. bjs

      Excluir
  3. Amei o blog e seus posts! Dicas valiosas pra quem não sabia como sentir de verdade o perfume :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada a vc....assim como o primeiro acorde não faz uma música, precisamos aguardar por horas a evolução de um perfume, para podermos realmente conhecê-lo... abraços.

      Excluir
  4. Dâmaris, o que mais acrescentar ao "TUDO" que descreveu aqui???
    ...e tudo o que a Thaís Helena falou....é exatamente tudo que gostaria de dizer...

    Parabéns as duas, foram preciosas ao toque do coração, além de que já falaram por mim.

    ...tem dias que olho meus perfumes e nenhum toca meu coração...coloco um bom creme perfumado e me sinto uma "DIVA", vai entender as mulheres....

    Beijos
    Malú

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Malú!
      Acho que aqui nos compreendemos em harmonia, todas. Ainda que as experiências sejam únicas para cada mulher, nossas impressões acrescentam um novo olhar e tem sido gratificante compartilhar isto com vocês!
      Muito obrigada também Dâmaris, por tudo de encantador que você nos apresenta!
      Beijos em todas!

      Excluir
  5. Amo os posts desse blog. Esse último me identifiquei muito pois os perfumes que mais amo hoje são os que mais odiei na primeira cheirada. Lembro do Egoiste de Chanel que só amei nas notas de fundo. O Lavender Palm de Tom Ford foi o mais inusitado. A primeira vez que senti lembrei do cheiro de pomada Minancora, que minha avó usava... Na segunda vez que provei na minha pele depois de algumas horas a evolução foi surpreendente. Que lavanda refinada e apaixonante.
    O Rose 31 de Le Labo foi o que mais me assustou. Cheiro intenso de rosas na abertura. Logo me perguntei: como um homem pode usar um perfume desse. Passa essa primeira impressão as notas se equilibram com o Argawood. Deliciosa mistura amadeirada com cheiro de pétalas de rosa esfregadas no corpo.
    Por último fui procurar Un Jardin Sur Le Nil. Ouvi muitos comentários a respeito e não resisti. Quando provei imaginei: "que bomba de manga madura, meio passada!" Como vou usar um perfume desse? Como não podia deixar de ser descobri nesse perfume mais uma obra prima de Jean Claude Ellena. Sempre que uso é muito elogiado e está na lista dos meus preferidos.
    Não poderia deixar de terminar esses comentários mencionando um que amei desde a primeira cheirada mas principalmente no final. Ainda não conheci um perfume como esse: 34 Boulevard Saint Germain de Diptyque. Fiz a compra cega mais acertada até agora. O impressionante desse perfume é a sua fixação. No final do dia quando você pensa que ele já foi embora ele aparece sobe a pele pulsando depois de um banho quente. Excelente perfume.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Rodrigo....teu comentário só me faz pensar que realmente não é sem sentido que como brasileiros estamos chamando a atenção das marcas internacionais. Nosso apreço pela arte cresce com paixão e conhecimento. Belo texto, obrigada pelo compartilhamento.

      Excluir
  6. É por isso que amo esse blog! :)

    Georgia Drumond

    ResponderExcluir
  7. Dâmaris fico extremamente espantado, no bom sentido, com a grandeza da sua inteligência e educação, como eu gostaria de dominar a arte em escrever bem!!!

    Eu era um, digamos assim, sem nariz aguçado e completamente sem graça rsrsrs...digo isso porque a grande maioria dos perfumes que tenho, a princípio, eu os havia odiado com toda força rsrsrs!

    Cito como um excelente exemplo o Alien, a primeira vez que o senti caí para trás! Falei claramente para a vendedora: Que perfume horrível e fétido! Nunca irei comprar isso...pois bem, um tempo depois fui senti-lo novamente e...me apaixonei!!!

    Assim como o Alien, "paguei a minha língua" com o Chance, Chanel nº 5, Classique, Eternity...a lista é longa minha cara!

    Hoje, eu digo: Thiago nunca diga nunca a um perfume, especialmente aos melhores!! hahaha

    Abraços a lá Alien, Chance etc e tal a todos que amam perfumes...

    Thiago

    ResponderExcluir
  8. É verdade. E também existem as fases da vida que naturalmente mudam nossas preferências também. Semana passada eu descobri que agora amo Happy (Clinique), Ralph (Ralph Lauren), Dolce & Gabbana Light Blue (fiz até um post falando mal dele) e Rosas Vermelhas (Natura). Pirei!

    ResponderExcluir

O Blog Village Beauté está com suas atividades suspensas.

Grata pela compreensão.

Pin It button on image hover