Dear Dior - HISTÓRIA DA MARCA DIOR.cHRIS

Há tempos, querid@ leit@r, gostaria de pesquisar sobre as casas que fazem os perfumes e e demais produtos que admiro (seja pelo empreendedorismo, criatividade, qualidade, enfim). Então resolvi abrir uma nova categoria neste blog História para contar. Como hoje pela manhã conversamos sobre o Miss Dior Chérie EdP... inauguraremos esta tag com histórias sobre a Maison Dior.

Espero que gostem.

Querido Dior,

hoje fiquei sabendo que você viveu muito pouco tempo, apenas 52 anos, curtos anos para um artista. Apesar de sua rápida existência, ainda hoje, mesmo depois de 54 anos de seu falecimento, seu nome está associado ao belo em suas diversas formas: roupas, fragrâncias, jóias, design.


Christian DIOR - História da Marca.

Existem pessoas que marcam uma história, constroem conceitos e de alguma forma eternizam seus nomes. Christian Dior é uma destas pessoas....vamos conhecer um pouco a sua história?

Sua origem vem da agricultura, mas seus pais desejaram que seguisse carreira diplomática, por isto o enviaram a Paris par estudar Relações Internacionais.  Como gostava de artes, começou a frequentar ateliês de pintura e desenho, e até desenhou alguns quadros. Mas seus desenhos de roupas começara m a chamar a atenção e o sucesso foi tão rápido que um empresário da indústria têxtil o contratou. Surgiram as primeiras peças de roupas femininas, com muito tecido, muito detalhe causando impacto na moda da época. Luxo, extravagância e exagero - eram as palavras associadas ao seu estilo: Vestidos tradicionalmente feitos com 5 metros de tecido, com sua criação passaram a usar até 40 metros. Com isto a industria têxtil de luxo foi incrementada, assim como os fantasmas do racionamento do período pós-guerra foram postos de lado.



A casa da sua infância hoje é um Museu. Construída no séc XIX, em estilo Belle Epoque, está sobre uma falésia de frente para o mar. Os jardins estão conservados tal como Madeleine Dior os projetou. A casa, com 3 andares, abriga desenhos de moda, objetos pessoais e obras-primas da costura de Christian Dior. Em sua autobiografia, Dior disse ter ternas e doces lembranças desta casa. Chega, inclusive a dizer que sua vida e seu estilo deve quase todo à localização e arquitetura da casa (destaco aqui o post sobre Miss Dior Chérie. CD não chegou a conhecê-lo, mas o perfumista que fez esta fragrância manteve nas notas as memórias da casa paterna que o patrono Dior venerava) . Crises financeiras fizeram seu pai vender a mansão, mas em 1938, a cidade Granville comprou e a transformou no Museu Dior.



No último dia 5 o Museu abriu uma nova coleção, a fim de mostrar as últimas doações e compras das produções deste artista. A exposição vai até o dia 27 de fevereiro de 2011, com portões abertos apenas no período da tarde.  Villa Les Rhumbs, em Granville, Normandia. Além disto, foi criado um Jardim das fragrâncias, um espaço dedicado a conduzir o visitante por 12 espaços perfumados (construídos de forma a vermos os frascos, suas campanhas e sentirmos os perfumes), em homenagem às principais fragrâncias criadas entre os anos 60 e 90.



Imaginem....passear pelos jardins, pelo Museu e inspirar as fragrâncias clássicas desta Maison. Fragrâncias que já foram descontinuadas! um tesouro olfativo para esta (e tantas outras pessoas) apreciadora minuciosa da arte perfumística. Um sonho dourado, e certamente este roteiro ficará guardadinho para, quiçá, uma viagem para aqueles lados....


Gostaram do passeio na história de Christian Dior?

e

agora um vídeo tour pelos jardins da Casa



Enquanto fazia este post ficava imaginando meus amigos e amigas apaixonados por Perfumes....gente,  imaginem nós juntos lá! seria difícil irmos embora, concordam? que sonho poder conhecer este Jardim das fragrâncias! sonhos....

Bjos e abraços com cheirinho de Miss Dior Chérie...

4 comentários :

  1. Adorei a reportagem Dâmaris! Christian Dior até hoje é ainda sinônimo de uma sensualidade nada discreta. Percebe-se que, apesar do foco da perfumaria ter mudado, a marca ainda lança perfumes que muitas vezes desafiam as convenções. Um belo exemplo é Dior Homme. Quem mais ousaria fazer um floral masculino com Íris? Só mesmo a dior.
    Quanto as lembranças do lugar onde ele nasceu, em Grainville, quero acrescentar que no final do ano passado foi lançado um perfume pela grife que tenta exatamente capturar esse cheiro. É um ótimo perfume aromático, com uma nota bem marcada de pinho e ervas. Sei que está vendendo nas lojas da Dior, por isso recomendo prová-lo em viajens, pois creio que ele ainda não chegou ao Brasil.

    ResponderExcluir
  2. Eu iria adorar passear entre os jardins, aspirar as essências que inspiraram os perfumes, enfim, seria uma viagem sinestésica mesclando imagens e odores. Que sonho!

    ResponderExcluir
  3. Querido Rick,
    creio que romper com o "esperado" seja um conceito, uma assinatura Dior realmente.

    bjs

    ResponderExcluir
  4. Sim, Patrícia, uma viagem sinestésica perfeita....

    ResponderExcluir

O Blog Village Beauté está com suas atividades suspensas.

Grata pela compreensão.

Pin It button on image hover