VIVIANE EM MEU PRIMEIRO PERFUME

Sexta pela manhã...dia de nos agruparmos para prosear sobre as histórias perfumadas. Qual foi o primeiro perfume? Qual fragrância integrou um momento importante de tua vida? Com vocês: Viviane!


O início de tudo

Já faz um tempo que estava elaborando mentalmente um texto para falar da minha experiência com perfumes, que já é antiga. Sempre tive uma fascinação por cheiros e, ao longo dos anos, fui desenvolvendo certa habilidade para identificar fragrâncias, fazer comparações com outras que meu cérebro de alguma forma já havia armazenado, aumentando a minha vontade de conhecer mais esse universo surpreendente da perfumaria.


Linha do tempo

A minha primeira lembrança que envolve fragrâncias é de aproximadamente 20 anos. Eu tinha um dinheiro guardado para comprar um presente de aniversário para a minha mãe, então resolvi passar em uma farmácia e levar um Deo Cologne Seiva de Alfazema.
Na época a embalagem era assim.


Não me lembro se a minha mãe gostou do presente, mas eu fiquei feliz porque com as minhas economias consegui comprar um vidro de Alfazema! rsrs


PERFUMES E A HISTÓRIA DE VIVIANE
Os primeiros perfumes de Viviane
Em seguida me lembro da Lavanda da Turma da Mônica. Aiiii que saudade dessa embalagem tão simples e com um cheirinho tão agradável! Comprei em uma farmácia e usei por um tempo até acabar.


Todos os produtos da Linha da Mônica eram uma delicinha.

No meu aniversário de 15 anos, ganhei um Tardi da L´acqua di Fiori. Aquele foi o meu cheiro dos 15 anos, e estava presente até mesmo na minha primeira caixinha de música. Acabei comprando um vidro pequeno em 2011 só para relembrar. Gostava de molhar os pulsos com água depois de um tempo porque o cheiro exalava ainda mais forte.
Houve um tempo em que minha mãe vendia Pierre Alexander, e eu adorava cheirar todos os flaconetes dos perfumes. Acabei usando algumas amostras do Absoluta e Laura (que não me recordo se era o Laura Um ou o Dois).


Não posso deixar de falar também do Talco Líquido dessa mesma marca, que até hoje me recordo do cheiro. Não era um perfume, mas eu o usava como se fosse. Escrevendo sobre ele me deu até vontade de adquirir um novamente!



Em 1998 comecei uma coleção de revistas “O Fascinante Mundo dos Perfumes”, que para o meu deleite, continha uma miniatura de um importado por fascículo. Foi o meu primeiro contato com importados, mas não durou muito porque desfiz das revistas e das miniaturas. Não me pergunte o motivo senão eu vou chorar! Só me restou um Laguna, Salvador Dalí miniatura, que guardo até hoje com muito carinho. Cheguei a ter os lindos frasquinhos de Dolce Vita da Dior, Amarige da Givenchy, Carolina Herrera, Essencia de Duende, by Jesus del Pozo - ó ceús, como pude desfazer dessa miniatura tão fofa? Snifs ;-(



Ainda em 1998 foi a vez do Giovanna Baby (que mulher nunca ouviu ao menos falar?). Ganhei esse perfume e era um frasco diferente do tradicional, não consegui encontrar uma imagem dele para ilustrar.
Giovanna Baby foi uma febre na época. O frasco de barriguinha é o mesmo até hoje.


Nesse mesmo ano resolvi ousar, sair do maravilhoso mundo da Lavanda e arriscar um “importadão”, foi então que não me contive ao ver um anúncio em uma revista do Dolce & Gabbana Eau de Toilette. Uma mulher chique aparecia no anúncio com a imagem até bem discreta do perfume, mas aquilo me enfeitiçou de vez. Desejei muito aquele perfume e ganhei de aniversário de um namorado, mas foi um tiro no escuro. Uma boa fragrância, mas não combinava com o meu estilo lavanda de ser. Me assustou um pouco porque achei ele muito forte, não existia um clima favorável para usá-lo. Não sei que fim levou.

Em 2001, pedi um Thaty do Boticário de amigo oculto na empresa onde trabalhava. Ganhei e usei por um bom tempo, mas não consegui terminar e o abandonei. Hoje não gosto dele como antes.



Entre 2001 e 2004 ganhei um Laguna de Salvador Dalí, Absinto da Água de Cheiro, um Accordes do Boticário e um Femme.com do Boticário (esse último infelizmente já saiu de linha). O que mais me encantou foi o Femme.com, bem fresquinho, era a minha cara. Hoje sei que se a saudade bater já existe um substituto para ele, que é o Romance, da Ralph Lauren.

 
PERFUMES NACIONAIS E IMPORTADOS NO VILLAGE BEAUTÉ
Os perfumes de Viviane
No decorrer desse tempo tive contato com várias outras fragrâncias que me marcaram, mas se eu for contar aqui não vou parar nunca. Então deixo somente os nomes, para recordar. Tenho certeza que daqui há algum tempo vou lembrar de outras. Usei também: Hit (L´acqua di Fiori), Lua (Natura), Musk (Natura), Fresh Dreams (frasco verdinho, da Água de Cheiro), Ekos Água de Banho Breu Branco (Natura), Coffee Woman (Boticário), Acqua Lavanda (Boticário), Empório Armani (Giorgio Armani), Ralph Lauren (Eau de Toilette de Ralph Lauren), Una (Natura), CH Feminino (Carolina Herrera). 

Alguns cheiros e muitas lembranças


Absinto: “estou arrasando”.

Musk da Natura: recordo-me dos bailes que frequentava no interior de MG
Ekos Água de Banho Breu Branco: quando meu pai se foi, troquei um perfume que ele tinha da Natura por essa Água pra mim. Já se passaram dois anos, mas sempre que uso Breu Branco lembro-me do sentimento que me afligia naquela época. Uso com certa cautela, sempre que estou mais alegre para não me abater.
Acqua Lavanda do Boticário: Usei um pouco no dia do meu casamento, uma amiga que me acompanhou no dia da noiva levou para usar e eu acabei pegando um pouquinho de amostra! É o cheiro daquele dia tão especial e também da Lua de Mel.


Abraços,


Viviane França
 
VIVIANE E SEUS PERFUMES
Viviane França

SOBRE MIM

Jornalista, pós-graduada em Gestão da Comunicação Digital. Apaixonada pela perfumaria e cosméticos em geral. Fez o curso de Maquiador Profissional no Senac Minas e Maquiagem Cênica e Caracterização no Centro Técnico de Produção do Palácio das Artes. Já realizou palestras e centenas de maquiagens, arriscou um curso de penteados no Instituto Embelleze, mas gosta mesmo é de pele. Hoje trabalha como Revisora em horário integral em uma agência de Comunicação. Não perde uma oportunidade de sentir um novo cheiro!


Obrigada, Viviane pela presença, pela vontade de compartilhar conosco tua história perfumada. Menina...essa coleção de revistas lembro-me bem. Como pude ter deixado passar? Naquela época era estudante, grana curtíssima que mal dava para pagar o xerox dos textos... Espero que ela volte! Imagine o sucesso que fará!

Abraços perfumados a você.

Outras histórias perfumadas podemos rever aqui

4 comentários :

  1. Obrigada por compartilhar a minha história! Também não tinha grana na época para comprar as revistas da coleção, acho até que minha mãe me ajudou a comprar algumas poucas. Sou louca pra ver uma coleção sobre Perfumes nas bancas. Nunca mais vi. :-(

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vamos tentar descobrir a editora destas revistas, Viviane...e fazer um pedido para que tornem a publicá-la! :) Eu que agradeço o carinho, Viviane....abraços perfumados!

      Excluir
  2. Delícias de recordações da Viviane! Vou contar uma coisa: sabe o talco da Mônica? Quando criança eu comia ele. Só parava de chorar quando minha mãe dava um punhadinho e eu ficava lambendo. Até hoje lembro do cheiro e do gosto. Assumo que se tivesse um pote dele na minha frente agora eu ia comer de novo...

    ResponderExcluir
  3. Recordar é viver, não é mesmo??? Sempre essas histórias lindas e encantadoras, tão doces lembranças que envolvem família, tempos, lugares, o evoluir constante de um ser humano!!
    Parabéns Viviane, sua história é doce e meiga, também usei Giovanna Baby e Tardi, mas um pouquinho antes de ti....

    Visitar o VB, é recordar sempre nossas lembranças doces e momentos agradáveis de ser menina, moça e mulher....maravilhoso!!!


    Beijos para ti Viviane, tão doce como teu rostinho estampado na foto....e beijo para minha querida Dâmaris.
    Malú

    ResponderExcluir

O Blog Village Beauté está com suas atividades suspensas.

Grata pela compreensão.

Pin It button on image hover